Nutrisafra Fertilizantes Ltda | Fertilizantes de Alta Performance

Novo conceito de manejo nutricional na viticultura 17/04/2011

 
A viticultura é uma das atividades agrícolas mais antigas do mundo, quando o vinho tinha propriedades místicas na antiga Grécia e Baco era considerado o seu deus, adorado pelas suas características singulares.

Desde essa época que a viticultura impera em toda a Europa, sendo o mercado Comum Europeu responsável por 45% da área vitícola mundial, com 65% da produção de uvas, 60% do consumo mundial e 70% das exportações do planeta.

O Brasil ocupa o 21° lugar em área plantada, o 14° na produção de uvas, o 24° na exportação deste tipo de fruta e o 10° na exportação de suco. O estado do Rio Grande do Sul é o maior produtor interno, com 60% do total.

A descoberta da região do semi-árido como uma área estratégica, com condições edafoclimáticas excelentes para o cultivo da videira, fizeram com que empresas tradicionais de Portugal, Espanha e Itália, investissem grandes somas de recursos financeiros. A finalidade era obter duas safras anuais, uma produção de escala continuada e custos de produção mais reduzidos quando comparados com aqueles vigentes nos seus países de origem.

Com a concorrência dentro de casa, não restou às empresas nacionais, especialmente aquelas mais tradicionais da região sul, senão o caminho do aprimoramento agrícola, industrial e de processamento.

Desta maneira, o Brasil segue a tendência mundial, com a elaboração de vinhos de melhor qualidade, com reconhecimento dos melhores enólogos internacionais, o que há muito acontece na Califórnia, África do Sul, Chile e Argentina.

Dicas infalíveis

É sabido de todos os especialistas que vários segredos são mantidos a sete chaves pelas principais vinícolas mundiais, entre elas o clima, o tipo de solo, os diferentes tipos de castas, os processos industriais distintos e, acima de tudo, o manejo agronômico que envolve desde as podas à nutrição. Esta etapa é considerada de grande relevância para a obtenção de maiores teores de açúcares, aromas, coloração, propriedades fundamentais para a formação dos buquês que definem a nobreza do produto final.

Assim sendo, é de fundamental importância não só a escolha das principais regiões, que hoje são todas elas demarcadas e caracterizadas na Europa, como a região do Douro em Portugal, única na produção dos vinhos do “Porto”, a região francesa de Champanhe, caracterizada pelos vinhos do mesmo nome, bem como a região da Toscana, na Itália, onde são produzidos os famosos vinhos “Chianti”.

Após a caracterização das principais regiões com a melhor aptidão, os viticultores e seus enólogos procuram os técnicos especializados em manejo nutricional, de modo a fazer pronunciar em cada casta o melhor brix, a melhor coloração, os melhores aromas e, consequentemente, os melhores “buquês”.
Tudo isto apenas será obtido com um excelente clima e, acima de tudo, com um manejo nutricional que privilegie, no contexto atual, a utilização de todos os principais nutrientes, administrados ao longo do ciclo da videira, com o melhor equilíbrio, de acordo com cada casta e atendendo a sua curva de absorção, específica para cada variedade.

A finalidade é a obtenção da melhor matéria prima, não só visando o consumo “in natura” como o processamento dos melhores vinhos com reconhecimento nacional e internacional.

Os consumidores dos países de primeiro mundo, para onde é destinada a maioria das exportações, desejam saber, antes mais nada, como foi elaborado o vinho que estão bebendo, assim como foi manipulado e que cuidados especiais as empresas produtoras dedicaram no campo agronômico, social e ambiental.

Qualidade total

Na atual conjuntura, todas as grandes vinícolas procuram certificações oficiais que lhes permitam uma produção orgânica, ou politicamente correta e sustentável. A Nutrisafra Fertilizantes Ltda., pioneira no desenvolvimento e produção dos primeiros fertilizantes orgânicos e organominerais do Brasil é hoje uma das únicas companhias do setor, preocupada e engajada em relação ao atendimento de todos os produtores de uva, que desejam não só atualizarem-se, como em relação à obtenção das certificações exigidas pelo mercado internacional. Estes dão preferência na atualidade a produtos, também certificados, obtidos e produzidos com o manejo de fertilizantes que lhes permitam fazer um manejo agronômico equilibrado, específico para uma viticultura politicamente correta e sustentável.

Deste modo, sugerimos, em primeiro lugar, que os produtores façam nas épocas devidas as análises de solo e foliares por ocasião do florescimento e pleno desenvolvimento das bagas.

Entretanto, de acordo com as variedades, tipo de solo, clima e metas de produção, estabelece-se a curva de absorção e através de novas metodologias procuramos acertar o devido equilíbrio de cada nutriente, de modo que ao longo do ciclo as plantas possam alimentar-se daquilo que necessitam para cada etapa fenológica ou época específica.

Estes são responsáveis pelo crescimento foliar proporcional, florescimento abundante e uma frutificação que resulte em bagas de bom tamanho, elevado teor de açúcares e aromas diferenciados.

Visando esta finalidade, chamamos a atenção de todos os interessados que a videira é uma planta absolutamente rústica, a ponto de ser cultivada em cima de pedras como o xisto, na região do Douro em Portugal, o que lhe confere características singulares. Lembramos que um dos erros mais comuns é a administração de nitrogênio de forma exagerada, o que proporciona um crescimento vegetativo além do normal, com prejuízos graves em relação à frutificação e qualidade das bagas e com danos irreversíveis em relação aos teores de brix, rachamento e anulação de aromas, que se tornam muito mais fracos ou até ausentes.

Recomendações

Considerados todos os pontos focados e analisando os dados disponíveis dos principais países produtores, a Nutrisafra definiu assim a quantidade média a ser administrada ao longo da safra para cada nutriente por hectare: 100 a 130 kg de N; 150 kg de P2O5; 250 a 300 kg de K2O; 15 kg de S; 130 kg de Ca e 50 kg de Mg.
Os micronutrientes devem ser também administrados de acordo com a análise solo, especialmente o boro, zinco e manganês.

Considerando a o portfólio de fertilizantes da Nutrisafra, sugerimos a aplicação do Magma como condicionador de solo na razão de 300 a 500 g por planta e posteriormente a realização da fosfatagem antes da brotação com o NutriAtivo AO-15 (01-15-00-08) com 250 a 300 g/planta.

As coberturas deveriam ser feitas pelo menos em três etapas, sendo a primeira com NutriAtivo OM-24 (09-06-09), no final da dormência e início da brotação com 50g/planta a 70 g/planta, a segunda por ocasião do enchimento dos cachos com o NutriAtivo OM-27 (09-06-12), também com 50 a 70 g/planta e a terceira quando o cacho estiver cheio com o NutriAtivo OM-32(06-06-20), com 50 gramas/planta, para aumento do brix, definição de uma coloração mais intensa e aromas característicos mais pronunciados da variedade utilizada.

Caso o cultivo tenha sofrido algum tipo de estresse ou por precipitações pluviométricas excessivas, ou seca, ou ainda por doenças, algumas correções poderão ser ajustadas, com os fertilizantes líquidos à base de aminoácidos e fosfitos.

No caso de um interesse diferenciado que vise uma nutrição 100% orgânica, a Nutrisafra sugere a fosfatagem com o NutriAtivo AO-15 (01-15-00-08) e as coberturas com a linha Nutri K (15-00-09), ambas com as certificações do IBD e da OKO Garantie BCS.

Lembramos que mais do que em outros cultivos, o manejo nutricional da videira deve ser realizado com o máximo de equilíbrio e racionalização, pelo que recomendamos o apoio de um técnico especializado ou da confiança de cada viticultor.

A Nutrisafra

A Nutrisafra é hoje uma organização que disponibiliza para o mercado da viticultura um dos melhores portfólios de fertilizantes orgânicos e organominerais, visando um manejo politicamente correto e sustentável.